Entre perdas e ganhos a perseverança vence.

Me chamo Daniele e meu namorado Gustavo sofreu com a disfunção erétil.

Ele sempre foi um homem cabeça dura, no início do namoro sempre brigávamos,  por ele ter opiniões formadas, foi difícil mudar a cabeça dele, mas depois do problema da disfunção erétil ele teve que mudar, para o bem dele.

Nos conhecemos desde pequenos, ele foi criado como o pai, com aquele pensamento antigo, e eu sempre tive um pensamento diferente, na adolescência eu não costumava falar com ele, não curtia certas atitudes. Quando me interessei por ele, foi na inscrição pra faculdade de Letras. Me surpreendi por saber que ele queria fazer faculdade de português.

Depois disso começamos a sair, morávamos na mesma rua o que facilitava pra nos vermos todos os dias. Quando ele me pediu em namoro, mas aceitei no fim. Fo um relacionamento complicado no começo, ele era cabeça dura, sempre implicava com certas coisas, ele sempre achava que o jeito dele era o certo, mas estava errado quanto a isso.

Com 5 meses de namoro começamos a ter problemas com a relação sexual, ele tinha dificuldades de manter o pênis ereto, as relações sexuais ficaram cada vez mais difícil de acontecer, isso nos distanciou um pouco, eu pedia pra ele ver o que era, perguntava se estava com outro alguém, se fosse isso pra falar que eu seguia meu caminho.

Brigamos demais por isso, mas ele dizia que não tinha problema nenhum, que era o cansaço, ou que o problema podia ser comigo. Lembro que quando ele disse isso eu terminei com ele.

Evitava sair na rua quando sabia que ele poderia estar por lá, e quando não dava pra evitar eu fingia que não o via, ficamos assim por duas semanas, quando voltamos, ele me disse que iria se cuidar, que iria no médico e sabia que isso era disfunção erétil. Voltamos, mas sem a parte do sexo, quando  disse para ele marcar o médico ele disse que faria isso, ficou nessa me enrolando por um mês, dizia que tinha esquecido que estava cansado, que estava ocupado, sempre inventando uma desculpa, quando tivemos a primeira briga depois de voltarmos.

No dia seguinte ele marcou a consulta, no dia o médico disse que era disfunção por baixa produção de testosterona, passou o remédio para reposição da testosterona.

Voltamos pra casa otimistas nesse dia, esperamos uma semana e meia para o tratamento surtir efeito, quando fomos fazer sexo ele ainda não queria manter a ereção, com um mês de tratamento ainda estava a mesma coisa, ele estava pra baixo achando que eu o deixaria de novo por esse motivo, eu falava que não iria deixar, pra ele ficar tranquilo, mas mesmo assim ele se sentia pra baixo.

foi então que descobri algo que nos ajudou tanto, um produto que achei na internet depois de tanto procurar, quando ele usou de primeira o sexo aconteceu. Desde esse dia nossa vida sexual é ativa e saudável. Hoje pensamos em nos casar e futuramente termos um casal de filhos.

Meus pais me ensinaram que a verdade cura.

Me chamo Pedro e tive problemas com disfunção erétil, por conta de distúrbio psicológico.

Quando eu tinha 14 anos eu casei com minha namorada da escola, namoramos 6 anos antes disso e eu era apaixonado por ela. Nos dávamos bem demais, e eu fazia tudo por ela, foi quando descobri que ela me traía tinha 2 anos já com um colega de trabalho dela.

Descobri quando um amigo disse que viu ela entrando no carro de um cara perto do trabalho dela no dia anterior, justo quando ela disse que ia na mãe dela. Quando ela chegou em casa, perguntei sobre isso ela me disse que ele morava perto da casa da sua mãe, foi quando mesmo ela dizendo isso eu a segui, e vi eles se pegando no corredor do trabalho.

Foi aquela coisa, ela me viu eu voltei pra casa, arrumei minhas coisas e fui embora. Ela me procurou disse que ele sempre insistiu, ficava dando em cima dela e quando terminamos uma única vez ela cedeu e não conseguiu mais parar, disse que tinha se arrependido. Eu babaca, voltei com dois meses descobri que eles ainda estavam ficando.

Depois disso fui morar sozinho em uma casa pequena, ela insistiu que voltássemos, eu sofri demais pois a amei muito, mas sabia que não poderia perdoar, então com duas semanas eu fiquei sabendo que ela foi morar com ele. 

Mudei até de cidade pra não ter que ver eles juntos. Ela me fez muito mal e isso ecoou por um tempo longo em minha vida. Foi quando eu conheci a Amanda, eu trabalhava como técnico em uma empresa de internet, e ela era prima do Marcos, que instalava a internet na casa dos clientes, ele me apresentou em um churrasco na casa dele.

Eu estava separado tinha mais de um mês e ela era uma mulher bonita e legal, na nossa primeira conversa contei o que eu tinha passado e que tinha me separado a pouco tempo. Marcamos de sair, no primeiro encontro fomos pra cama e broxei, fomos mais duas vezes e aconteceu de novo, apesar disso ela continuou comigo.

Eu sempre lembrava da minha mulher, sempre ficava pra baixo, eu a amava ainda mesmo sabendo que isso não me fazia bem. O que piorava é que eu tinha amigos em comum com minha ex mulher, e eu sempre ficava sabendo algo dela, foi quando contei a Amanda o que acontecia na hora e ela me disse pra procurar ajuda foi o que fiz.

Comecei a frequentar o psicólogo e ele me disse que eu tinha que ir deixando de pouco a pouco meu antigo relacionamento, e descobri que minha disfunção erétil era causada por isso, a médica disse para eu procurar algo que me ajudasse no sexo até eu conseguir curar essa ferida.

Foi quando eu encontrei em uma página da internet um produto que chamou minha atenção, esta vá descrito como Viagra Natural na mesma hora encomendei e comecei a fazer uso das cápsulas com minha namorada. Hoje não sofro mais de disfunção erétil, e nem com meu ex relacionamento.

Perder a esperança? Nunca!!!

A vida e seus desafios

Eduardo tem 33 anos é casado e tem um filho, ele recentemente vem sofrendo com a disfunção erétil. Isso abalou um pouco seu casamento. Ele nunca teve problemas com o sexo, mas depois de casado com o tempo passando ele relaxou na saúde e agora vem sofrendo com isso.

Começou quando ele relaxou nos exercícios, ele sempre jogava bola duas vezes por semana, depois passou para os domingos, mas parou de jogar, ele também pedalava, mas foi parando. Com o passar do tempo ele foi ganhando peso, o futebol aos domingos foi substituído por churrasco e cerveja, as voltadas de bicicleta por excesso de comida, ele começou a criar uma barriga e devido ao sobre peso ele ficou com problemas de má circulação.

Ele com exatos 33 anos de idade começou a se sentir cansado, na hora do sexo ele não conseguia manter a ereção para ter uma relação, isso já aconteceu com ele antes, mas quando ele era jovem e apenas uma vez. 

Agora tinha acontecido de novo, ele e a mulher acharam estranho, mas ficou tranquilo, achou que deveria ser uma coisa que só aconteceria de novo daqui a dez anos, mas não foi o que aconteceu, durante esse período ele não estava conseguindo fazer sexo com sua mulher, sempre broxava. Recomendo essa leitura.

Ela começou a achar que ele tinha outra, que a estava traindo. As brigas surgiram por causa disso. Sempre que ele chegava tarde do trabalho ela achava que ele estava com outra mulher. Isso se estendeu por um longo tempo, ele tentou mais algumas vezes o sexo, mas não estava entendendo o que estava acontecendo.

Admitir a necessidade de ajuda não é sinal de fraqueza e sim de força.

Assim como os homens que tem esse problema, ele sabia o que era mais não queria admitir por vergonha e por achar que homem de verdade não tem isso. Sua esposa cansou de brigar e pediu o divórcio, ela ainda achava que ele estava com alguém quando ele negou e disse não para o fim do relacionamento deles, ela então saiu de casa por um tempo.

Foi quando ele se viu em um beco sem saída e foi procurar ajuda médica, e o médico disse o que ele já sabia, era disfunção erétil, o médico disse que no caso dele era pela má circulação do sangue o que impedia de manter seu pênis ereto, e isso era por causa do seu sobre peso, mas que mesmo emagrecendo ainda poderia ter problemas com isso.

Ele então procurou a esposa e conversou sobre o problema ela voltou pra casa depois disso para dar apoio, pediu desculpas pela desconfiança, ela começou a ajudar ele com a dieta e os exercícios, mas mesmo emagrecendo ele ainda estava tendo problemas.

Conseguia manter a ereção mais não durava muito. Mudou a alimentação, emagreceu bastante, mas o problema sexual ainda estava te atrapalhando, em cada 3 vezes que transava apenas uma vez era até o fim.

Hoje ele ainda sofre com o problema da disfunção erétil, ainda procura um método mais saudável para ter uma vida sexual ativa, sem se entupir de remédios. A procura do Eduardo continua…